Compra online cresce no segmento de moda íntima



20 de março de 2018
por: Marcela Leone

Mixed race woman using laptop on bed

Apesar de não ser o principal canal, a venda online tem ganhado força no segmento de moda íntima –  cresceu de 7,6% em 2015 para 12% em 2018, de acordo com pesquisa comandada pelo IEMI realizada em fevereiro deste ano.

LEIA TAMBÉM: PESQUISA DETALHA COMPORTAMENTO DA CONSUMIDORA BRASILEIRA DE LINGERIE EM 2018

Na Hope, por exemplo, as vendas virtuais já representam 8% do total da empresa. Uma porcentagem relativamente alta, ainda mais quando se trata de um setor em que provar as peças – no caso dos sutiãs – faz toda a diferença.

Loja online da Hope

Loja online da Hope

“No segmento de vestuário, a experiência de ver o produto ainda é importante para boa parte dos consumidores, mas existe sim uma tendência de crescimento da compra on-line”, afirma o diretor de expansão da Hope, Sylvio Korytowski, ao DCI.

Em 2015, as vendas via e-commerce da Hope não ultrapassavam a margem dos 4%. A principal estratégia para o crescimento foi tornar o canal como uma ferramenta complementar às lojas físicas, e não um concorrente.

Entre as vantagens que levam a consumidora adquirir algo online estão praticidade e preço, de acordo com o estudo. Por isso, uma boa forma de alavancar as vendas virtuais é criar promoções específicas para quem comprar no site – e claro, fomentá-las nas mídias sociais.

Fotos: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *