Ações da Under Armour atingem baixa recorde após corte nas projeções



4 de agosto de 2017
por: Marcela Leone

As ações da Under Armor Inc. atingiram uma baixa recorde após corte na projeção de vendas do ano. A empresa informou que vai cortar 2% de sua força de trabalho e instalações em meio a uma concorrência feroz na América do Norte.

As vendas do segundo trimestre na América do Norte aumentaram apenas 0.3%

As vendas do segundo trimestre na América do Norte aumentaram apenas 0.3%

As ações da Under Armour, que vem perdendo market sharepara Nike e Adidas na América do Norte, caíram cerca de 10% para 16,27 dólares na terça-feira. A bolsa já desvalorizou 28% este ano.

A Under Armour, que atraiu investidores com seu rápido crescimento até alguns trimestres atrás, tem enfrentado dificuldades, pois seus novos calçados não conseguiram emplacar no mercado e atrair compradores em um mercado que vem encolhendo à medida que os produtos “athleisure” já não são mais tão procurados.

“Achamos que o vestuário da Under Armour não tem apelo de moda. Enquanto marcas como Nike, Adidas e Puma estão prosperando com looks retrô e casuais, a Under Armour não vem tendo sucesso no desenvolvimento de um calçado que desperte o desejo de compra do consumidor”, disse Jane Hali, diretora executiva da empresa de pesquisa de investimento em varejo Jane Hali & Associates LLC.

Analistas também disseram que a estratégia da Under Armour de querer dominar muitos segmentos da categoria performance esportiva, apesar dos consumidores estarem se tornando mais seletivos com suas compras, não vem atuando em seu favor.

As vendas da América do Norte no segundo trimestre aumentaram apenas 0,3%, muito distante do crescimento de dois dígitos que a empresa costumava publicar até o ano passado.

“Como a América do Norte ainda responde por mais de três quartos da receita da Under Armour, um baixo desempenho na região significa que a empresa como um todo desempenhou mal”, avaliou o analista Anthony Riva, da GlobalData Retail.

A Under Armour disse que espera um crescimento na receita do ano de 9% a 11%, abaixo da previsão anterior, de 11% a 12%.

A empresa vai cortar 277 empregos em suas operações, o que representa 2% de sua força de trabalho. Metade destes funcionários atuam na sede da companhia, em Baltimore, informou a porta-voz da Under Armour, Diane Pelkey.

A empresa prevê encargos antes de impostos de até 130 milhões de dólares no exercício de 2017, relacionados ao fechamento de lojas e aos custos de indenização.

A Nike também anunciou em junho que vai cortar cerca de 2% de sua força de trabalho global, e eliminar 1/4 de seus modelos de calçados para competir melhor no mercado que vem desacelerando.

A receita líquida da Under Armour aumentou 8,7% para 1,09 bilhão dólares no segundo trimestre. A empresa registrou uma perda líquida de 3 centavos em suas ações classe C, que representam suas ações ordinárias.

Fonte: Fashion Network | Foto: reprodução

Comments are closed.